Sportsmanship Incentive Movement

to stop insult is to stop physical violence

na Caneta de um Emigrante

História verídica contada na primeira pessoa

O sonho americano

April 25, 2019

Á 12 anos atrás pisava Terras de tio Sam eu era mais um em busca do tão desejado "sonho Americano" no meu querido Portugal era 25/04/2007 a esperança de ter sorte e vingar era muita, os anos passaram e foi-se desvanecendo, América de hoje é uma ilusão, longe vão os tempos um dollar valia 200 escudos, hoje 200 escudos vale mais que um dollar. 


Começei logo a trabalhar imaginem roofing, depois brick e a seguir restaurante pior trabalho de minha vida, 16 e 17 horas por dia fechado numa cozinha, pagava-me 2.75 hora quando o salário era de 7., Fui explorado, roubado, escravizado. 


Ao fim de três anos e meio decidi rumar ao norte para trás ficavam alguns dos melhores momentos de minha vida, mas também dos piores, passar fome, comer do lixo, dormir num armazém velho e ser espoliado sem apelo nem agrado pelas próprias pessoas do meu País era dose de cavalo. 


Trazia no bolso Social Security, carta de condução e cartão verde, aqui dão-te uma salsicha em troca pedem-te o porco, para bom entendedor..., trabalhei para um que quando tinha muitas horas pagava a um preço, quando tinha poucas pagava a outro, era uma tabela variável, esbarrei com alguns ditadores, que ainda se gabam de estender a mão ao compatriota. 


Hoje estou pior quando cheguei, mais velho, cansado, sobretudo desepcionado e com menos esperança, a lesão que me fustiga á quase um ano rouba-me o tão desejado sonho Americano, conheci gente que me dessiludiu e pela qual tinha uma admiração imensa, á valores que nunca deviam ser ignorados, a gratidão é um deles, aqui és um número, fui alvo de violência física, psicológica e de outras situações que serão mencionadas num possível livro, tem coisas que contado é dificil de acreditar, limpei, esfreguei e arrastei a merda de gente embriegada, passam a imagem de Senhores e valentões da Comunidade, no fundo são uns ingratos esquecendo que o sol nasce todos os dias, se não fosse my Dalila estava caído numa qualquer valeta da Costa Leste, não foram anos num mar de rosas foram muitas lágrimas, sofrimento, luta e muita saudade, se tivesse cruzado com bons compatriotas teriam sido 12 anos certamente melhores.


Foto de: Paulo Almeida

Texto de: Paulo Almeida